Trump com "líder supremo". Uma moeda para celebrar algo que pode não acontecer

A administração norte-americana lançou uma moeda comemorativa do encontro entre Trump e Kim Jong-un marcado para 12 junho.

O encontro entre o presidente dos Estados Unidos e o líder da Coreia do Norte está marcado, mas ainda sob um manto de dúvidas devido às ameças de cancelamento que chegaram de Pyongyang. No entanto isso não impediu a administração norte-americana de lançar uma moeda comemorativa dessa reunião histórica, agendada para 12 de junho. Mas há outro problema: a forma como esta se refere a Kim Jong-un.

A moeda em causa mostra os perfis de Donald Trump e do líder norte-coreano, como se se olhassem de frente e ao mesmo nível, e exalta as "conversações de paz" entre os dois países em 2018. Mas refere-se a Kim Jong-un como "supremo líder", uma designação que não traduz o cargo oficial do líder do regime da Coreia do Norte.

Os reparos aos detalhes da moeda espalharam-se rapidamente nas redes sociais, depois de vários correspondentes da Casa Branca terem divugado uma imagem da mesma.

A cimeira entre Donald Trump e Kim Jong-un está marcada para 12 de junho em Singapura, mas está em perigo. A Coreia do Norte já ameaçou cancelar o encontro devido aos exercícios militares conjuntos dos EUA e da Coreia do Sul. Uma reunião entre as duas coreias foi mesmo anulada, tendo depois Pyongyang afirmado não estar interessada numa cimeira com os Estados Unidos, caso esta se reduza à "exigência unilateral" do desarmamento nuclear.

Donald Trump reagiu com cautela. "Veremos o que acontece", disse.

Esta segunda-feira, os presidentes da Coreia do Sul e dos Estados Unidos acordaram continuar os esforços para realizar a histórica cimeira com a Coreia do Norte, depois de o regime de Pyongyang ter ameaçado cancelar o encontro.