O desespero dos migrantes do Open Arms que se atiram ao mar para tentar chegar a terra

Uma porta-voz da Open Arms afirmou este domingo que a organização não quer navegar até Algeciras, como propôs Espanha, dada a "situação insustentável" a bordo, onde mais de cem migrantes esperam por desembarcar há 17 dias. "Há ansiedade, episódios de violência, o controlo da situação é cada vez mais difícil. Iniciar uma viagem de seis dias com estas pessoas a bordo, que estão no limite das suas possibilidades, seria uma loucura. Não podemos pôr a saúde e a vida delas em risco", disse Laura Lanuza. O desespero já fez alguns deles tentar chegar a terra a nado. Para o ativista português Miguel Duarte, a situação vivida pelos tripulantes do navio é mesmo crítica: "Estas pessoas correm o risco de que nem sequer a tripulação as consiga ajudar."