Doze eurodeputados portugueses votaram contra os "memes"

Proposta gerou controvérsia por abrir caminho a filtros automáticos para apagar conteúdos protegidos pelos direitos de autor.

A maior parte dos deputados portugueses votaram a favor da nova diretiva dos direitos de autor na União Europeia.

Portugal tem 21 deputados no Parlamento Europeu. Doze eurodeputados portugueses votaram a favor dos filtros automáticos de material protegido por direitos de autor. Seis votaram contra, um absteve-se e dois não estiveram presentes na votação.

Dos que votaram a favor, seis são do PSD, cinco do PS e o outro é Marinho e Pinto, que representa o seu partido na Europa, o Partido Democrático Republicano.

Contra esta diretiva, votaram dois deputados do PS, os três eurodeputados do PCP, e Marisa Matias, do Bloco de Esquerda.

Manuel dos Santos, eurodeputado do PS, foi o único português a abster-se nesta votação. Nuno Melo, do CDS-PP, e Cláudia Monteiro de Aguiar, do PSD, não votaram.

A diretiva acabou por ser chumbada, com 318 votos contra, 278 a favor e 31 abstenções. O percurso do documento não termina aqui, mas a votação volta a abrir o debate e permite correções aos artigos polémicos. O documento volta ao plenário em setembro.

Os artigos 11 e 13, os mais polémicos, dizem respeito, respetivamente, à criação de uma taxa sobre os links para páginas de notícias e à implementação de um filtro nas plataformas digitais que monitorize o conteúdo dos utilizadores e impeça a publicação de material que possa estar protegido por direitos de autor.

Votos a favor
- Carlos Coelho, PSD
- José Inácio Faria, PSD
- José Manuel Fernandes, PSD
- António Marinho e Pinto, PDR
- Paulo Rangel, PSD
- Sofia Ribeiro, PSD
- Liliana Rodrigues, PS
- Maria João Rodrigues, PS
- Fernando Ruas, PSD
- Ricardo Serrão Santos, PS
- Pedro Silva Pereira, PS
- Carlos Zorrinho, PS

Votos contra
- Francisco Assis, PS
- João Ferreira, PCP
- Ana Gomes, PS
- Marisa Matias, BE
- João Pimenta Lopes, PCP
- Miguel Viegas, PCP