"Memes" podem ter os dias contados na União Europeia

Ativistas lançam campanhas contra nova lei de direitos de autor, que poderá pôr fim a estas piadas online. Não é caso para rir, dizem.

A nova lei europeia de direitos de autor pode levar ao fim dos memes na internet, denunciam ativistas. A Comissão Europeia nega que a liberdade de expressão esteja posta em causa.

Uma lei que vai ser votada a 20 de junho no Parlamento Europeu prevê uma maior proteção dos direitos de propriedade intelectual na internet.

O artigo 13 desta diretiva europeia vai forçar redes sociais, sites de vídeo e servidores a instalarem filtros que monitorizarão todos os uploads (carregamentos) de material audiovisual.

Se esse material for apagado automaticamente, como denunciam movimentos contra a nova lei, isso significaria o fim de boa parte dos memes, piadas online que se baseiam em material com direitos de autor - geralmente uma imagem, usada sem autorização do autor, repetida até à exaustão a que se juntam palavras.

Ativistas citados pela Sky News afirmam que uma medida como esta "destruirá a internet tal como a conhecemos" e "permitiria a grandes empresas controlar o que vemos e fazemos online".

A Comissão Europeia, que anunciou estas mudanças há dois anos, rejeita as críticas.

"A ideia por trás das nossas propostas em matéria de direitos de autor é que as pessoas possam ganhar a vida das suas ideias criativas", disse um representante da CE à Sky News. As propostas servem para "modernizar" a lei e "não vão prejudicar a liberdade de expressão na internet", garantiu.

A Mozilla, criadora do browser Firefox, lançou uma página contra as mudanças à lei.

A organização sem fins lucrativos critica também o artigo 11 da nova lei, que permitirá a qualquer autor ou publisher cobrar uma licença pela partilha de um excerto de conteúdo online publicado nos últimos 20 anos.