A "lei do piropo" faz três anos. O que mudou?

Faz este domingo três anos desde que as "propostas de teor sexual" passaram a ser criminalizadas. O V andou pelas ruas do Porto à procura de piropos... E perceber se este é um hábito em extinção, ou não.

Três anos depois, há mais queixas, não há condenações. Provar em tribunal é difícil. Os piropos estão enraizados na nossa cultura e é ténue a fronteira entre o que deve ser consentido e o que deve ser penalizado. Há muitas cambiantes. E há também uma frágil linha que separa a sedução do insulto.

Este domingo a lei dos piropos faz tema de capa da Notícias Magazine. Se esta reportagem lhe despertou o interesse, entre na discussão numa reportagem da responsabilidade da jornalista Sara Dias de Oliveira.